Página Principal | Reportagens | Criando com Alô Mamãe - Sino dos ventos

Criando com Alô Mamãe - Sino dos ventos
22/04/2008 18:59




Sino dos ventos

 

Sérgio Souza: artesão
Fone para contato: (11) 6746-5167

 

 

NANCI GIL – Eu chamo de sino dos ventos, mas tem outros nomes?

SÉRGIO SOUZA - Existem vários nomes: sino dos ventos, mensageiro dos ventos e até harpa eólica.


 

NG – Estou vendo que tem vários tamanhos. Eles são feitos de acordo com o ambiente onde serão usados?

SS – O brasileiro tem costume de colocar atrás da porta para quando esta for aberta balançar e ouvir que tem alguém chegando. Mas o uso correto é colocar no lugar onde bata o vento porque de acordo com o Feng Shui, que é a técnica chinesa para decoração de ambientes, o vento que entra e passa pelos sinos harmoniza o ambiente.


 

NG – Tem também os sinos de bambu? São mais delicados?

SS – Sim, lembra o som de cachoeira, som de pequeno riacho.


 

NG – E há quanto tempo você trabalha com isso?

SS – Faz oito anos. E de acordo com as técnicas que eu vou ensinar, com a parte básica, dá para fazer vários modelos.


 

NG – E você vive disso agora?

SS – Sim, graças a Deus.


 

NG – Qual você irá ensinar para o Alô Mamãe?

SS – O de alumínio, que é mais fácil de encontrar as peças. Ele é básico e a partir deste dá para fazer outros modelos.

 

Ingredientes

• 6 tubos de alumínio com diferença de 2 cm cada um deles

• 1 medalha

• Fio de nylon

• Bolas de madeira

• Contas plásticas no. 2

• Argolas de madeira no. 02 e no. 00

• Tesoura

• Tubo de metal maior, para montar o gabarito

• Lista telefônica ou outro material pesado

 

 

Como fazer

 

Com a lista telefônica, faça um gabarito prendendo os tubos todos no mesmo limite, como se tivessem o mesmo tamanho.

 

Comece com o tubo menor. Pegue o fio de nylon, que tem que ser cortado por volta de 40 com de comprimento, e passe o fio pelos dois furinhos que estão quase na boca do tubo, e amarre. Dê o primeiro nó, aperte, e dê o segundo nó com duas voltas. Repita o processo com os outros tubos de alumínio.

 

Depois da amarração, pegue todas as linhas maiores, que vão ficar na peça ainda, e corte as menores por volta de meio centímetro. “Maior que isso fica feio, pois já faz parte do acabamento da peça, e menor pode ser que escape”, explica Sérgio.

 

Segure os fios maiores e retire os tubos de dois em dois, levando-os para a bancada. O próximo passo então é a montagem, passando os fios pela argola. Comece do menor para o maior, seguindo a seqüência.

 

Terminado essa etapa, junte os fios e levante a peça para conferir se todos estão na ordem certa. Em seguida pegue as contas e coloque-as, uma a uma, em cada fio, para fazer o acabamento na parte de cima.

 

A etapa seguinte é o pêndulo do sino. Para isso será utilizada uma bola de madeira e uma conta plástica. Na ponta do fio de nylon amarre a conta plástica, mais uma vez com um nó simples e outro nó com duas voltas. Passe a bola de madeira deixando que ela vá até o final e coloque por cima uma outra bola.

 

Corte o excesso e junte todas as linhas. Levante até o final do tubo menor para acertar a argola. Sem deixar movimentar, dê dois nós em todas as linhas, primeiro o simples e depois o de duas voltas.

 

Para acabar, amarre a medalha na bolinha debaixo do pêndulo, com nó simples e depois um nó com duas voltas. Corte a linha que sobra e está pronto seu sino dos ventos.

 

Sérgio diz que tem sempre uma loja perto de casa que comercializa esse tipo de artigo. Ele calcula que só na capital paulistana devam existir umas duas mil lojas que vendam os sinos. “É fácil comercializar esses produtos porque a maioria que existe à venda é importado e você fazendo com produto nacional é mais barato”, completa Sérgio.